Na página 10 da revista Scientific American Brasil do mês Maio de 2011 (ANO Nove; Nº108) encontra-se o texto “Partilhar e Compartilhar”. Abaixo, segue a reportagem digitada.

Partilhar e Compartilhar

Bactérias trocam genes com seus vizinhos mais frequentemente que os pesquisadores pensavam

Bactérias e arqueias – conhecidas pelo nome de procariotas – vivem de modo geral em toda parte, dividindo-se alegremente em lugares que vão do ácido estomacal a respiradouros em alto-mar.

Elas conseguem se dar bem em tantos lugares tão diferentes porque seus genomas são incrivelmente flexíveis: eles se alteram, perdem e duplicam genes quase à vontade. Cientistas reconheceram há muito que procariotas também adquirem genes de seus vizinhos (prerrogativa que contribuiu para resistência a antibióticos). Mas se considerava que esse método de adquirir novo DNA, chamado transferência horizontal de genes, fosse relativamente raro e ocorresse apenas sob fortes pressões no ambiente, como exposição a poderosos antibióticos.

Um estudo recente em PLoS Genetics descobriu, ao contrário, que procariotas adquirem genes de microorganismos vizinhos com frequência. Essa transferência ocorre quando um indivíduo obtém informação genética de outro via uma ponte ou um vírus e se dá até quando dois procariotas são de espécies diferentes.

Ao compilar um banco de dados de 110 diferentes genomas procariotas, Todd J. Treangen e Eduardo P. C. Rocha, do Instituto Pasteur em Paris, calcularam o número de genes adquiridos através de transferência horizontal de genes. Eles sabiam que genes que evoluem dentro do próprio genoma procariota muitas vezes se localizam perto de genes semelhantes e têm funções semelhantes em genes existentes. Genes que chegam via transferência horizontal, no entanto, aparecem aleatoriamente ao longo de todo o genoma e com frequência têm funções radicalmente diferentes. Ao rastrear esses dois principais indicadores Treangen e Rocha calcularam que procariotas que eles estudaram adquiriram entre 88% e 99% de novos genes por transferência horizontal.

-Carrie Arnold”

Há também nessa mesma edição, das páginas 52 a 59, uma reportagem sobre bactérias. A reportagem trata sobre os riscos de uma enorme variedade de infecções bacterianas devido aos novos padrões de resistência aos antibióticos.